Crescer é um ato de coragem

marta grilo no mexico

Nunca ninguém nos diz o que é crescer. De alguma forma, quando paramos de crescer fisicamente, todo o crescimento em si se parece desvanecer até um conceito subjetivo que padecemos em entender. É-nos dito, indiretamente, que o nosso crescimento a partir de certa idade passa por um número de objetivos que temos de cumprir no tempo devido: faculdade aos 18, mercado do trabalho no início dos 20, casa e família pouco depois e vida estável já antes dos 30. Isto são pequenas conceções que todos temos de como a nossa vida deve ser, e aquilo de que se trata o nosso próprio crescimento. Embora sejamos todos diferentes, é esperado que cresçamos em ritmo semelhante e de maneira igual. É isso que acontece, maioritariamente, quando ainda estamos a crescer no sentido físico: a nossa altura e fisionomia nunca diverge assim tanto. Nenhum de nós mede 5 metros, nenhum de nós tem 5 olhos e 20 mãos. Mas, e se assim fosse? E se houvesse várias dimensões no crescimento físico, assim como existe no crescimento mental e espiritual, era esperado que o nosso crescimento acontecesse de maneira linear?

Talvez a pressão de crescer seja imposta por nós próprios. Talvez seja imposta por outros. Por quem é, não interessa. Mas, se as nossas diferenças nos distinguem na roupa que vestimos, nos amigos que temos ou na comida de que gostamos, porque não nos há de distinguir no nosso crescimento? É preciso coragem, é certo, para calar a voz da pressa. É preciso coragem para escutar o silêncio dentro de nós, sem dar conta do barulho que o rodeia. É, acima de tudo, preciso coragem para desafiar as expectativas que temos de nós próprios. Porque podemos ser tudo. Certamente, nunca seremos nada. A questão é, que tipo de crescimento queres ter? E, mais importante ainda, tens coragem para tê-lo?

Quando nos perguntam para que serve a Gap Year Portugal, a resposta há-de ser sempre essa. Nós somos quem procura dar-te a coragem de crescer. As candidaturas à bolsa Gap Year Portugal fecharam ontem. Àqueles que concorreram deixamos uma palavrinha: deste o teu primeiro passo e, só por isso, já ganhaste. Com bolsa ou sem bolsa, esta etapa fará parte do teu crescimento. Não percas nunca a coragem e segue em frente! Ninguém ditará o teu futuro a não seres tu e nós continuaremos aqui, à espera de te ver crescer.

Carolina R. de Sousa

Categorias

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share This