Gap Year Summit: O ponto de partida!

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Os Millenials vieram revolucionar o mundo. São nativos digitais, multiculturais e filhos da globalização. Esta é uma geração curiosa e tolerante à mudança, e que se foca nas experiências ao invés de bens materiais. Contudo, são também jovens indecisos e impacientes.

Para além disso, o futuro tornou-se incerto. Já não programam carreiras a longo prazo na mesma empresa, a moda obrigacional de se ir de Erasmus instalou-se e facilmente se rendem a voos low cost que os possibilita a conhecer o mundo.

Portanto, esta alteração de comportamentos e crescimento de novas oportunidades permitiu que o próprio conceito de gap year surgisse na nossa sociedade. Este define-se por ser uma rutura na rotina diária dos jovens que os incentiva a sair da sua zona de conforto, a aceitar novos desafios e a perder o medo de arriscar. Por isso, o gap year não deve ser considerado um ano perdido, mas sim uma solução eficaz para as dúvidas que vários alunos do secundário (e do ensino superior) têm relativamente ao seu futuro profissional e pessoal.

Por isso, em 2013, fez todo o sentido que a associação Gap Year Portugal fosse fundada com o objetivo de promover este mesmo conceito e apoiar todos os jovens portugueses que queiram fazer um gap year.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_single_image image=”14329″ img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Um exemplo real de que é possível tornar esta ideia concebível é a própria experiência do atual presidente desta organização, João Pedro Carvalho. Após ter concluído o 12ºano, ingressou no ensino superior no curso de geografia, mas sem a certeza absoluta do que pretendia ser no futuro. Esclareceu que na altura teve curiosidade de experimentar fazer um ano sabático, mas por falta de informação não o fez. Porém, depois de terminada a licenciatura, com 22 anos viu-se ainda com as mesmas dúvidas com que começara o curso. Por isso, decidiu aventurar-se e durante quase nove meses foi conhecer o mundo, juntamente com dois amigos que partilhavam da mesma vontade, Alex Bissell e Fernando Vaz.  O seu principal objetivo foi não só “mostrar que as pessoas são incríveis em qualquer do mundo”, como também testar-se a si mesmo, e conhecer novas culturas e realidades.

Destacou a caminhada de quatro dias até chegar ao autocarro de Into The Wild no Alasca como um episódio marcante que demonstra a conquista e superação possíveis do ser humano. E admitiu que somos capazes de tudo, que “o impacto que tens nas pessoas e que as pessoas têm em ti, e a ligação que tu crias quando estás sozinho é incrível”.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_single_image image=”14338″ img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Depois de cerca de 500 boleias e de mais de 100 novas caras conhecidas, concluiu que voltou a Portugal com uma perspetiva diferente do mundo e dos outros, que encara todos os desafios como oportunidades e que confia a 100% nas pessoas. Foi uma jornada surpreendente e que o estimulou a desmitificar o conceito no seu próprio país, “Se eu fiz porque é que qualquer pessoa no mundo não seria capaz de o fazer?”.

Assim, alinhando este exemplo com o objetivo da organização, o Gap Year Summit volta a repetir-se este ano, mas desta vez na fantástica cidade dos estudantes: Coimbra. Dias 30 e 31 de março podes contar com várias palestras, debates e workshops que te vão dar a coragem e inspiração certas para também tu ires à aventura e usufruíres de uma experiência incrível, tal como o João, o Alex e o Fernando tiveram.

Não percas esta oportunidade, este vai ser o ponto de partida da viagem da tua vida!

 

 Escrito por Nicole Mota

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_single_image image=”14340″ img_size=”full”][/vc_column][/vc_row]

Categories

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *