10 passos para um gap year sem sobressaltos

Geralmente, quem faz um gap year quer colocar-se à prova e conhecer-se melhor, abrir horizontes, ver novos sítios, contactar com pessoas de várias nacionalidades… No entanto, um gap year não deixa de ser um espaço de tempo que carece de algum planeamento, meses que têm de ser pensados e minimamente delineados para que corra bem e, acima de tudo, para que atinjam todo o seu potencial.

No entanto, fazer um planeamento desta dimensão pode parecer algo assustador e muitas vezes assoberbante. Não é difícil deixar escapar pormenores que podem ser realmente importantes. Por isso, decidimos ajudar-te nas decisões mais importantes que terás de tomar para que não sintas que estás a perder o leme do barco.

Passo #1 – Planear

Este é o primeiro ponto de qualquer lista. Há que pensar onde queres ir, o que queres fazer (há milhares de possibilidades e vamos falar sobre isso mais à frente neste post), qual é o teu orçamento e o que podes fazer para facilitar a tua experiência lá fora.

Passo #2 – Falar com os teus pais

Eis um tópico que dá que falar. Já planeaste, já quase levas a mochila às costas, estás pronto e prestes a sair de casa, mas ainda tens de comunicar aos teus pais que vais partir à aventura? Muitas vezes, a opinião dos pais é um elemento decisivo para que uma viagem desta envergadura corra às mil maravilhas… Por isso, não te esqueças de lhes comunicar a tua decisão com tempo e, até, de os incluíres no planeamento: podem ajudar-te muito e lembrar-te de coisas que poderiam facilmente escapar mesmo aos olhares mais atentos!

Passo #3 – Saúde e segurança em viagem

Por muito entusiasmante que seja uma viagem deste género, e por muito elevados que sejam os seus custos, algo no qual não podes deixar de investir é na tua saúde e segurança. Ninguém quer ir a outro continente apenas para ficar doente ou para ter um acidente… por isso, é possível, e muitas vezes aconselhável, que escolhas um seguro de saúde que se adapte a ti e às tuas necessidades. Podes ler mais sobre este tema em Seguros de viagem: mais vale prevenir que remediar.

Passo #4 – Viajar em low budget

Há várias formas de poupar durante a tua viagem e vários projetos que podes integrar que são completamente financiados, para que o dinheiro não seja um problema. Viajar não é só para os ricos: nos dias de hoje, qualquer pessoa pode fazer um gap year! Por falar nisso, já ouviste falar do Concurso Gap Year Portugal? Podes ganhar até 6.500€ e as candidaturas já estão abertas.

Passo #5 – Ser voluntário

A maioria das pessoas que planeia fazer um gap year tem a ideia de fazer voluntariado. Esta é, realmente, uma atividade interessante, onde podes ficar a conhecer-te muito melhor e em que tens maior forma de contacto com populações cujas culturas são diferentes da tua. O problema é que a escolha do projeto e do sítio onde fazer voluntariado pode não ser assim tão linear quanto esperamos inicialmente. Este é um dos pontos que requer muita pesquisa e muita informação, mas podes sempre pedir ajuda a alguém que já tenha feito um projeto como o que queres realizar! Realmente, o melhor que podes fazer é tomar conhecimento do que se passa pelo mundo e depois decidir.

Passo #6 – Trabalhar e estagiar

Há vários sítios onde podes trabalhar ou estagiar, mesmo que não seja na tua área de estudos. Existe a possibilidade de decidires no momento se queres ou não trabalhar ou estagiar num certo sítio, mas se os teus planos forem fazer do teu gap year uma oportunidade para trabalhares fora de Portugal, o melhor é decidires com antecedência aquilo que queres fazer. Para isso, podes recorrer à Ano Sabático, que te apresenta imensas opções, com durações várias e inúmeras opções. Não há desculpas para só planeares isto à última hora!

Passo #7 – Projetos com impacto

A escolha do projeto que vais integrar durante o teu gap year pode ser difícil ou não muito evidente. Podes querer fazer algo completamente diferente daquilo que já fizeste até ao momento, mas também podes procurar fazer algo que se relacione diretamente com o teu trabalho em Portugal ou com os teus estudos. O importante é que faças algo que te realize e que gere, ao mesmo tempo, o maior impacto possível, em ti e nos outros.

Passo #8 – Inteligência emocional em viagem

Numa viagem longa, em que podes passar por países tão invulgares, é normal que nem sempre pareça que as coisas estão a correr bem: as saudades apertam, a língua é diferente, o tempo é diferente, tudo parece demasiado. E se as coisas correrem mal, então até vai parecer o fim. Mas não tem de ser! É importante que já estejas mentalmente preparado para o que poderá aparecer à tua frente. Deves saber lidar com as expectativas, com os sentimentos dos outros e com os teus próprios sentimentos. O melhor que tens a fazer é perceberes aquilo que poderás enfrentar mesmo antes de começares a tua viagem!

Passo #9 – Enfrentar o desafio 

Sabendo que vai haver choque cultural, não te podes deixar cair ao primeiro problema. Há que ser resiliente e, se necessário, que mudes o teu plano inicial. Mesmo assim, não te deixes desmotivar com os imprevistos e segue de cabeça bem erguida até ao fim da tua viagem.

Passo #10 – Ir ao Gap Year Summit 

O Gap Year Summit vai ser o passo culminante da tua viagem, aquele que te vai por a mexer e que te dará a conhecer a visão e os testemunhos de várias pessoas que já fizeram um gap year. Todos os tópicos anteriores serão temas de workshops nos quais poderás participar nos dias 30 e 31 de março em Coimbra, na reitoria da Universidade. Não percas esta oportunidade fantástica, não é todos os dias que podes comunicar com tanta gente com ideias semelhantes às tuas ou com pessoas realmente experientes naquilo que te interessa!

Por Helena Fonseca

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *