Um olhar atento sobre Dubrovnik e Cavtat – Entrevista a Espírito Viajante

Espírito Viajante

O Pedro Henriques é o autor do blog de viagens Espírito Viajante. Natural de Cabeceiras de Basto, Norte de Portugal, possui formação académica em geografia e arqueologia e actualmente trabalha na área do ordenamento do território. Nas suas viagens adora vaguear pelo mundo rural, pelos centros históricos e pelo mar, mas é na montanha que se sente em casa

Espírito Viajante
Espírito Viajante

O que é que mais o surpreendeu na sua viagem à Croácia?

A beleza do Adriático, o património arquitetónico e natural. As marcas da Guerra dos Balcãs ainda estão presentes.

Dubrovnik, na Croácia, é um dos destinos mais cobiçados pelos turistas, muito graças à série Game of Thrones (GoT). O que é que encontrou de especial na cidade?

Sempre fui um apaixonado pelo turismo cultural, mais especificamente pelo património arquitetónico (desde a antiguidade ao contemporâneo). Nesse contexto, Dubrovnik surgiu como a cidade perfeita para desfrutar desse valor: o seu aspeto medieval refletido na forma urbana, densamente povoada por edifícios e ruas estreitas e protegida por uma poderosa linha de muralhas, fez-me recuar no tempo, quiçá até à época de Westeros.

A vontade em visitar a cidade esteve de algum modo relacionada com a série GoT?

Como grande fã da série que sou, obviamente fiquei influenciado, mas confesso que já pensava em visitar a cidade antes de GoT ficar tão popular.

Que locais em é que o viajante não pode mesmo deixar de visitar em Dubrovnik?

O centro histórico é imperdível, daí ter sido classificado pela Unesco como Património Mundial em 1979. Aqui posso destacar o Museu Marítimo, o Museu da Fotografia da Guerra, o Museu Etnográfico (embora não se possa tirar fotos), o palácio dos Reitores, a Catedral e as Igrejas de St Blaise e Stª Inácia, e a Fortaleza. Aconselho também fazer o circuito das muralhas, onde podemos ver de cima todo o centro histórico da urbe. Fora do centro histórico sugiro uma visita à ilha de Lokrum que fica em frente à marina da cidade.

O que é que não vale a pena fazer/visitar em Dubrovnik?

Na minha opinião, tudo o que Dubrovnik tem para oferecer, vale a pena visitar, embora ache que o preço do teleférico seja exagerado, razão pela qual eu não andei nele.

Há algum local especial em Dubrovnik que não esteja indicado nos típicos mapas turísticos?

Posso indicar um que não é muito divulgado, o Parque Natural Velika I Mala Petka, onde aproveitei para fazer um pequeno trekking e apreciar a parte mais florestal e elevada da região.

Parque Natural Velika I Mala Petka
Parque Natural Velika I Mala Petka

Teve oportunidade de conviver com locais? Como é que é descreve os habitantes de Dubrovnik?

Sim, conversei com alguns, são bastante simpáticos e acessíveis.

Dubrovnik é conhecida como a “Pérola do Adriático”. Faz jus à fama?

Completamente. O seu curioso enquadramento geográfico caracteriza-se por um enclave, sendo “abraçada” pela Bósnia e Herzegovina a Norte, por Montenegro a Sudeste e pelo Mar Adriático a Oeste. Povoada desde tempos pré-históricos, foi durante a Idade Média, nomeadamente a partir do séc. XIII, que começou a ganhar destaque na Europa devido à sua poderosa industria naval.

marina-e-ilha-de-lokrum
Marina e Ilha de Lokrum

Que conselhos daria a quem se prepara para visitar a cidade de Dubrovnik?

Principalmente que reservem alojamento com antecedência. Explorem bem a cidade, mas não descurem a parte natural existente nos arredores. Se puderem gozar mais dois dias extra, podem sempre dar um salto à cidade histórica de Mostar na Bósnia e Herzegovina que fica apenas a 2h30 horas de distância. Existem day tours a partir de Dubrovnik, ou podem ir de autocarro desde a central de camionagem.

Durante a viagem à Croácia, o Pedro também visitou a cidade de Cavtat, que fica a cerca de 25km de Dubrovnik. É uma boa alternativa para quem procura umas férias mais tranquilas?

Sim, é uma cidade pequena mas bastante tranquila, bem diferente do turismo mais massivo de Dubrovnik.

Vale a pena visitar a cidade de Cavtat, mesmo que se fique alojado em Dubrovnik? Porquê?

Cavtat é um destino cultural e natural fascinante. Começando pela marginal Ante Starcevica e apreciar a beleza da baía e as águas cristalinas. A Igreja barroca de São Nicolau e a Igreja da N. Srª da Neves (datada do séc. XVI). Podemos fazer o trilho que nos conduz ao topo de Cavtat antiga onde está localizado o cemitério local e o Mausoléu da família Racic, um exemplo perfeito da arte sacra projectado pelo artista Ivan Mestrovic. As ruínas romanas são outro ponto de interesse. Podemos terminar a visita com um passeio pelo centro histórico da cidade, também datado do séc. XVI. No Verão a oferta de desportos náuticos é bastante grande.

Marina Cavtat
Marina Cavtat

Planeia regressar à Croácia? Se sim, que cidades tem debaixo de olho?

Sim, quero regressar no futuro para conheceroutros locais como o Parque Nacional dos Lagos de Plitvice, e as cidades históricas de Trogir e Split, todos eles com a chancela da UNESCO.

Se ficaste com vontade de viajar até à Croácia, passa pelo blog pessoal do Espírito Viajante e lê todas as suas dicas para que a tua passagem pelas cidades de Dubrovnik e de Cavtat seja aproveitada ao máximo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *