O Couchsurfing proporcionou-nos umas das melhores experiências da viagem

Estávamos nós em Udaipur (Índia), conhecida como a “Veneza” do Oriente, com um casal português, a Inês e Gustavo, que tínhamos conhecido há uns dias atrás, na cidade de Jodhpur – esta conhecida como a cidade “azul”. Curiosamente, conhecemo-nos graças à camisola do Futebol Clube do Porto que a Ana trazia vestida e que também é azul. Partilhámos com eles momentos que jamais vamos esquecer.

Com a Inês e o Gustavo

Ainda não tínhamos o próximo destino definido. Uma resposta positiva no Couchsurfing poderia vir a mudar tudo, e assim foi. Nessa mesma noite, recebemos uma resposta positiva do Afroz, o nosso anfitrião, que nos disse para ir sem problemas.

Viajamos em “low budget”, e tudo fazemos para poupar. Sendo um dos objectivos desta viagem “mergulhar” na cultura local, nada melhor que sermos acolhidos pelos mesmos. Nesse sentido, recorremos, sempre que possível, ao Couchsurfing, uma plataforma de hospitalidade com base na internet onde os locais oferecem um “cantinho” da sua casa.

Lembro-me que na despedida da Inês e do Gustavo dissemos que arranjaríamos casa em Mumbai. Já antes tínhamos falado sobre o assunto Couchsurfing e disseram-nos que não utilizavam pelas más histórias que tinham ouvido sobre tal… mas ficou combinado que, se a nossa experiência corresse bem, falaríamos deles ao Afroz.

O Afroz, para além de advogado, é uma pessoa com um coração do tamanho do mundo, com uma paixão enorme pelo ambiente e em ajudar o próximo. Não é por nada que, quando chegámos a sua casa, demos de cara com mais dois viajantes e que, no dia seguinte, outros dois se juntariam à festa. Éramos seis viajantes em sua casa. Nós os dois – Portugal, Singapura, Alemanha, Inglaterra, Ucrânia e, claro, Índia, juntos na mesma mesa.

Portugal, Índia, Ucrânia e Singapura

Mas não é só viajantes que o Afroz gosta de ajudar, já que todos os dias distribui chá e bolachas por aqueles que nada têm e que fazem da rua a sua “casa”. Ajudar o próximo é algo que nos enche o coração e ao qual é impossível ficar indiferente. Por isso mesmo, fomos para o “terreno” ajudar a distribuir. Foi uma experiência intensa e inesquecível. Apesar de na rua viverem e de nada terem, ofereceram-nos um sorriso em troca e agradeceram-nos como se lhes estivéssemos a salvar a vida.

Afroz a distribuir comida
Ana a colaborar na distribuição
Distribuir comida nas ruas de Mumbai, Índia

No dia seguinte, a missão era outra. Limpar as praias imundas e cheias de plástico em Mumbai. Graças à sua paixão pelo ambiente, o Afroz criou um projecto que consistia em remover todo o plástico da praia – “Clean up Versova Beach”. Começou sozinho. Acabou com dezenas ou centenas de pessoas a ajudarem-no, todos os domingos.

Projecto “Clean up Versova Beach”
Projecto “Clean up Versova Beach”

Nós, claro, também lá estávamos. Apanhámos o projecto a meio, já milhões de toneladas de plástico tinham sido removidas da praia. Ainda assim, a praia continuava suja e havia plástico por todo o lado. A pergunta que nos vinha a cabeça era só uma: “como é que se chega a este ponto?”. Incrível.

Apanhámos de tudo e mais alguma coisa. Plástico completamente enterrado na areia e que só escavando era possível retirá-lo. No final, estávamos cansados, mas felizes por termos a oportunidade de ajudar em boas causas.

Passámos quatro dias inesquecíveis com Afroz e todos os outros viajantes. Para além de casa, o nosso anfitrião ofereceu-nos tudo. Comemos, bebemos, fizemos amizades para a vida e ficámos tristes pela partida.

Como prometido, falámos da Inês e do Gustavo, ao Afroz. Pouco tempo depois, lá estavam eles. Gostaram tanto, que ficaram duas semanas com ele.!

E este é o espírito do Couchsurfing. Amizade, partilha, troca de conhecimentos e experiências e viajar barato. Hoje em dia, é tão fácil viajar, que já não há desculpas.


Ana Brás & Tiago Soudo

Ela é bimba com muito gosto. Ele é tudo devagar devagarinho, Alentejano portanto. De 28 anos, licenciados em desporto, mestres em diferentes vertentes, ela seguiu educação física e ele exercício e saúde. Deixaram o conforto e o consumismo de parte e partiram para a aventura: uma volta ao mundo. De mochila ás costas em busca de novos desafios, desenvolvimento pessoal, sair da zona de conforto, conhecer e interagir com novas culturas e ajudar quem mais precisa.
 

Vê Também

2 pensamentos em “O Couchsurfing proporcionou-nos umas das melhores experiências da viagem

  1. Isto é mesmo muito bom! Também quero ser HOST cá em Portugal, mas não sei se os hóspedes conseguem ver o meu perfil visto que não fiz a verificação por pagamento…
    Tudo de bom!
    Esperança Melo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *