A falta de dinheiro e tempo não são desculpa

A parte mais difícil de qualquer viagem é a decisão de partir. Sim, por mais estranho que pareça, foi a coragem que moveu nossos 13 meses pela Europa.

Eu e o Denis, desde que nos conhecemos que compartilhávamos o desejo de viajar pelo mundo. Mas a história é praticamente quase sempre a mesma: faltava dinheiro e tempo. Só dá pra conseguir dinheiro trabalhando e trabalhando não se tem tempo para viajar. Aparentemente está é a questão que move as almas viajantes pelo mundo.

Felizmente, não nos deixamos levar pelas dificuldades no meio do caminho e a nossa situação foi diferente. Mesmo sem ter toda a coragem ou dinheiro para ir, um motivou o outro desde o começo. E foi assim que deixamos para trás nossos empregos, nossos carros e casas. Foi um processo bastante intenso e conflituoso, pois a sensação é que se está abrindo mão de tudo o que foi conquistado ao longo dos anos. Pura ilusão.

Com a cara e com a coragem, nossa aventura iniciou-se em 2 de dezembro de 2015 e a única certeza que a gente tinha era de que a gente não tinha certeza de nada nos próximos meses. Como já sabíamos, saímos do Brasil com a intenção de viajar por um ano, mas nosso dinheiro só dava para algo em torno de 3 meses. Foi assim que tivemos a brilhante ideia de nos inscrevermos no WOOF, plataforma de voluntariado pelo mundo. Logo de início, em Portugal, que foi nosso destino inicial, voluntariámos em 2 fazendas orgânicas. Foram experiências únicas e enriquecedoras. E mais do que isso, nos preparou para o que sempre vinha pela frente. Nossa intenção nunca foi criar raízes e ficar fixo em algum país, nossa ânsia  era sempre conhecer mais. E foi isso que aconteceu.

Quando o dinheiro começou a acabar e a gente se apaixonou pelo novo estilo de vida que estávamos vivendo, começamos a trabalhar como freelancers por plataformas de jobs na internet. Aos poucos, mês a mês, fomos conseguindo dinheiro e seguimos adiante.

Foram 13 meses viajando e 19 países visitados, inclusive um pulinho a Marrocos, que não estava em nossos planos inicialmente. O outros países foram todos na Europa. Alguns lugares a gente passou mais tempo e outros tivemos que passar rapidinho – por questões de visto/custo de vida alto. Na Romênia por exemplo, ficamos 3 meses. E posso dizer que foi ótimo poder aproveitar a vida como moradores local.

Voltamos ao Brasil quase no primeiro dia de 2017. A bagagem voltou com menos coisa, mas a mente e o coração voltaram transbordando de tanto conhecimento e amor. Ainda é imensurável o que essa viagem representou em nossa vida, mas o contato com diversos lugares, pessoas e culturas diferentes, nos proporcionou uma nova visão do mundo, uma visão melhorada e com muita esperança. Existem muitas pessoas boas pelo mundo, muitas nos trataram como família e nos deixou constrangidos de tanto amor e amizade recebidos.

Nós voltamos porque achamos que o nosso tempo neste estilo de viagem já tinha se encerrado, afinal, é maravilhoso e também muito cansativo você ficar trocando de cidade/país várias vezes. Foi tão maravilhoso que parece que vivemos durante 13 meses em um mundo paralelo. E a nossa volta fez com que a gente tentasse aplicar melhorias em nossa vida e reconhecesse melhor a beleza de nosso próprio país. O Brasil é enorme e há tanta beleza a ser explorada.

Agora é isso, nosso desejo é nunca mais parar de viajar. Já estamos planeando nossa próxima aventura. O mundo é muito pequeno pra se resumir em um único espaço.

Raíssa Anarelli

Vê Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *