A Verdade sobre a Grande Muralha da China

Nota: o seguinte texto contém spoilers!

Grande Muralha da China
Grande Muralha da China

No dia que visitei a Grande Muralha da China descobri a derradeira verdade! A esbordar de entusiasmo, lá ia eu a subir no teleférico que dá acesso à muralha quando o guia nos disse que esta não se consegue ver a partir do espaço! É um mito.

Eu senti os meus pensamentos desfazerem-se como um biscoito esmagado.

O QUÊ?!

 

Aparentemente a muralha é muito fina para ser vista a partir do espaço. Na verdade, até à data, não existe nenhuma construção erigida pelo Homem visível a mais de 300 milhas de altitude. O astronauta Chinês Yang Liwei confirmou isto em 2003 e desde então o Governo Chinês teve que atualizar os textos dos livros escolares que antes apoiavam o mito.

Mutianyo, Grande Muralha da China
Mutianyo, Grande Muralha da China

No entanto, o meu estado de choque foi rapidamente substituído por uma jubilidade, pois estava a visitar um marco tão famoso e de magnitude incomparável! Uma série de fortificações com milhares de torres de vigia completam um total de 20 000 km de comprimento da Grande Muralha da China (esta mais recente medição inclui muitos milhares de quilómetros que foram completamente destruídos). Construída ao longo de 2000 anos, o primeiro Imperador da China, Quin Shi Huang, iniciou a sua construção para demonstrar grandiosidade e enviar os pobres e os for a de lei para trabalhar. Mais tarde a muralha adquiriu uma função de defesa e divisão contra os povos a norte da muralha.

A partir de Pequim é possível visitar várias secções da Muralha. Entre as mais frequentadas está:

Badaling, totalmente restaurada, é a de mais fácil acesso, famosa entre os Chineses e por isso muito populosa;

Mutianyo, fica a 70km de distância (1h30m de carro), tem uma parte semi-restaurada e outra parte “selvagem” e não vê tantos turistas como Badaling;

– e Jinshanling, fica a 130km de Pequim (2h30m de carro), também tem uma parte semi-restaurada e outra “selvagem”.

Mutianyo, Grande Muralha da China
Mutianyo, Grande Muralha da China

Nós optámos por visitar a secção de Mutianyo, por ser relativamente perto e sem a multidão. Depois de caminharmos por 1h e meia, maioritariamente a subir degraus, chegámos à parte “selvagem”. Ali, a natureza domina sobre os tijolos de pedra. As árvores criam raízes nas paredes da muralha, dando-lhe um ar intrigante.

Infelizmente nós não pudemos proceder pela parte selvagem, pois tínhamos que voltar para onde começámos a caminhada e onde o nosso guia estava à nossa espera.

Apesar do mito, eu não fiquei desapontada de forma nenhuma! A Grande Muralha da China vai para além do que os olhos conseguem enxergar e é tão grandiosa como o próprio nome.

Andreia Leite
Sempre de câmara na mão, sonhadora por natureza, é apaixonada por cidades que ainda não explorou e por montanhas que ainda não escalou. Em 2010 fez Erasmus na Dinamarca e formou-se em Enfermagem. Por trabalho mudou-se para Londres e por amor mudou-se para Glasgow. Sonha um dia poder pisar todos os países do mundo e por que não, a lua também?! Gosta de escrever e documenta as suas viagens no seu blog www.theworldatmyfeet.net

Gapyear

gapyear

Test desc

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *